Empresas Familiares

27/01/2011

Freud ao refletir sobre a etiologia  da neurose apontou dois fatores de satisfação e de conflito primordiais  humanos: o amor e o trabalho.

Quando amor e trabalho apresentam uma grande área de intersecção como é o caso das empresas familiares  emergem conflitos  muitas vezes impossíveis de serem contornados  que levam à falência do negócio ou ainda dos projetos individuais. Se o foco deixa de ser no negócio e a familia vê na empresa apenas  o lugar da preservação do seu  patrimônio afetivo e material, a possibilidade de estagnação do processo de crescimento da empresa existe.

Algumas questões são centrais para uma reflexão sobre o tema :

. De que modo o modelo de exercício da autoridade presente na familia pode influir no estilo de liderança predominante em uma empresa?

. Como os conflitos familiares, desejos e fantasias dos membros da familia extravasam na empresa e quais são as consequências disso?

Em uma empresa familiar temos dois sistemas interagindo:  a familia e a organização. Esses sistemas interagem segundo o esquema conceptual operativo do grupo Empresa/ Familia. Segundo Pichon Riviére, todo grupo tem uma tarefa inconsciente que se não for decodificada pelo próprio grupo poderá atuar como bloqueio na realização das operações ou tarefas  do mesmo grupo. A tarefa inconsciente se não for decodificada se constituirá como sombra grupal .

Os sentimentos que cada membro da familia desperta em cada um dos demais, a forma como cada anseio é ou não compartilhado também são vividos pelo consultor através da contratransferência.  A contratransferência é um termo cunhado por Freud para se referir as emoções do analista durante a análise, motivadas pelas fantasias e emoções do cliente . Hoje é entendida como ferramenta de trabalho na análise e nas intervenções de caráter clínico, na abordagem  psicodinâmica . Na contratransferência atuam projeções de conteúdos do cliente para dentro do analista e vice-versa. A forma como o profissional se identifica com esses conteúdos definirá seu modo de interação com seu cliente. Da mesma forma na transferência o cliente projetará conteúdos emocionais no analista e se identificará de várias formas com seu analista. O fulcrum dos processos transferenciais é a emoção  dos envolvidos. A aplicação desses conceitos à psicologia das organizações possibilita o trabalho com conflitos para os quais um trabalho apenas através de uma abordagem cognitiva não teria sucesso. A contratransferência do consultor e a transferência do cliente são fonte de entendimento das relações interpessoais na organização.

Um conceito familiar à Psicologia Junguiana é o de simbolo. O símbolo conecta o que aparentemente estava separado e recupera o sentido. A análise dos mitos grupais possibilita a compreensão simbólica dos valores que regem uma instituição ou grupo. Se nos mantivermos atentos aos temas das narrativas e diálogos,  estaremos mais próximos de uma compreeensão dos mitos, fantasias, idealizações, presentes nas ações grupais.

Tomando como referência o conceito de inconsciente coletivo junguiano, através de uma análise dos mitos grupais poderemos entender temas centrais nos conflitos grupais , como também entender seus  potenciais , anseios e valores.

O consultor e o mediador passam a fazer parte da trama de relações a partir do momento em que inicia o processo de acessoria a um grupo. Serão envolvidos no processo através da projeção feita pelo grupo dos conteúdos inconscientes grupais  a serem trabalhados.

Da mesma forma , nos empreendimentos familiares , as práticas empresariais serão afetadas pelas necessidades afetivas da familia e por seus anseios. Sem trabalhar com as emoções do grupo e com as próprias o profissional terá dificuldade de cumprir sua tarefa de mediador de conflitos.

Os aspectos positivos dos laços afetivos assim como seus aspectos negativos serão matéria – prima do trabalho.  Conflitos pessoais não resolvidos, rivalidade entre familiares, diferentes anseios sobre a empresa são fatores cruciais para o sucesso ou fracasso do empreendimento familiar.

Anúncios

 

Tragedia em Teresopolis Região serrana do Estado do Rio. por estiloradical no Videolog.tv.

Tragedia em Teresopolis Região serrana do Estado do Rio. por estiloradical no Videolog.tv.

Como é difícil a compaixão .  O tema me ocorreu diante da tragédia já anunciada , porém não evitada pelas políticas públicas na Região Serrana do Rio em 2011. Como me colocar na pele de quem perdeu sua casa ou tudo que possuia ? Se aqui não está chovendo….como me colocar na pele de quem sofre com a destruição das chuvas ? Como me colocar na pele de quem perdeu seus entes queridos, seu vizinho, seu amigo?

Compaixão é interessar-se verdadeiramente pelo sofrimento do outro e acolhê-lo. É muito próxima à empatia mas se foca no sofrimento do outro e tem mais uns ingredientes.

Nesses dias tenho dialogado com a compaixão quando me vi pensando e procurando pessoas conhecidas que moram na região alagada ou tem familia na região.

Se você quer saber se é capaz de compaixão, se pergunte se é capaz de ficar ao lado e empatizar com o sofrimento de alguém mesmo sem ter nada para propor como solução.

A compaixão se amplia no silêncio e no acolhimento ao outro. É tudo que podemos fazer diante da tragédia avassaladora como um cataclisma, uma doença terminal, uma morte iminente.

Quem não consegue sentir compaixão não poderá ser um bom psicanalista. Na análise devemos saber silenciar e acolher. E se a lágrima vier aos nossos olhos chorar junto sem constrangimento. O paciente se cura também ao se sentir humano em seu sofrimento, sem ser excluído ou discriminado. Essa condição melhora sua auto-estima. Sem auto- estima fica quase impossível superar obstáculos. O grande desafio não é amar e acolher o que nos toca  a alma por falsa empatia imediata, a da projeção,  mas também o que a princípio pode ter até nos causado sentimentos como : medo, rejeição, estranheza, horror. Na análise quando adentramos as vivências  da contratransferência  experenciamos o que vem a ser a compaixão.

Os duendes das estatísticas do WordPress.com analisaram o desempenho deste blog em 2010 e apresentam-lhe aqui um resumo de alto nível da saúde do seu blog:

Healthy blog!

O Blog-Health-o-Meter™ indica: Este blog é fantástico!.

Números apetitosos

Imagem de destaque

Um Boeing 747-400 transporta 416 passageiros. Este blog foi visitado cerca de 1,900 vezes em 2010. Ou seja, cerca de 5 747s cheios.

 

In 2010, there were 43 new posts, growing the total archive of this blog to 86 posts. Fez upload de 35 imagens, ocupando um total de 37mb. Isso equivale a cerca de 3 imagens por mês.

The busiest day of the year was 3 de novembro with 32 views. The most popular post that day was Quando Nietzsche chorou.

De onde vieram?

Os sites que mais tráfego lhe enviaram em 2010 foram celiabrandao.com, facebook.com, google.com.br, pt-br.wordpress.com e twitter.com

Alguns visitantes vieram dos motores de busca, sobretudo por violencia na familia, relações amorosas no trabalho, simbolo da sexualidade, casal no carro e ultimo tango em paris

Atracções em 2010

Estes são os artigos e páginas mais visitados em 2010.

1

Quando Nietzsche chorou outubro, 2010
3 comentários

2

Freud e Jung e a teoria das neuroses. outubro, 2009
2 comentários

3

Abuso e violência na Familia agosto, 2009
6 comentários

4

Identidade e poder nas relações amorosas setembro, 2009
2 comentários

5

Freud versus Jung e a libido abril, 2010

Tricot e Alma.

08/01/2011

Grávida aos 34 anos

Tricot é objeto transicional durante a gravidez, quando esperamos um filho ou um neto. A cada carreira encenamos o tempo passando. Quando erramos, treinamos a paciência, de desmanchar e recomeçar. A cada obra executada um grão de amor se deposita na alma.

 

Tricot ( Poema de Nícolas Brandão)

 

Fácil é o ponto

que de ponta em ponta

é ponto

é pronto

 

simples é a linha

que alinha

ponto após ponto

gostoso é o espaço onde tudo se deita.

 

 

 

Dor

03/01/2011

Minha dor é sempre maior.

Gememos aos quatro cantos.

Mas o que é essa dor ?

Estar só em um mundo,

onde ser sózinho é preciso ?

Querer abocanhar cada pedaço

dessa tarde ensolarada

Foto de Celia Brandão

apenas atrás da janela.

Enquanto alguém se delicia,

alguém reclama da falta de comida.

Mas a dor do outro é do outro.

A minha é maior,

a minha fome,

o meu desejo,

a falta que sinto.

Em um mundo,

sem lugar para todos,

minha dor tem que ser maior.