vista do edifício Bretgane Higienópolis

Vista do Edifício Bretagne

 http://youtu.be/Y1-7-OQC0S0

 Hoje é aniversário de São Paulo, uma das cidades mais caras do mundo. Cara , querida e odiada. Esse é o paradoxo de SP. É só caminhar pelos jardins e suas lojas luxuosas e depois dar um pulinho na região do bairro da Luz, ex- cracolância para entender suas contradições. Será ex mesmo? Cidade de contrastes, São Paulo assusta e fascina. Cidade para onde as regiões menos favorecidas do Brasil migram e sempre encontram um lugar, mesmo que num terreninho de ocupação clandestina até  quando não se sabe.

 Cheguei a São paulo aos 9 anos de idade vindo com minha familia do Rio de janeiro, minha terra natal, para morar no bairro da lapa. Amo a Lapa até hoje. Lapa da imigração italiana que acordava atrás do verdureiro , sr Roberto, e não havia tomate e escarola que chegasse: RRRRRobertoo quero duas escarola! Dizia dona Maria do Sr Xingo.  Do outro lado da rua em uma casarão antigo tres irmãos italianos cantavam ópera logo cedo. E mais abaixo a professora de piano que dava aula passando flanela ao mesmo tempo nos móveis. Cheiro de molho de tomate pela rua toda logo de manhã e à tardinha perfume de geléia de uva fervendo no fogão.  Ao cair da tarde ruído dos meninos correndo com os carrinhos de rolemã. Lapa dos restaurantes que faziam frango a passarinho enquanto as moscas fritavam no fritador que ardia no teto. Sobremesa: Morango com Chantilly ou pudim de leite.  Ao lado o Palestra Itália abria seus braços para os bairros da Pompéia   e de Perdizes quando ainda não havia Avenida Sumaré. Alí era tudo mato. Na Rua Venancio Aires os Mutantes na casa de Rita Lee ensaiavam encantando as tardes. Na avenida Pompéia os sobrados geminados tinham até o muro encerado. Na rua Germanine Buchard o Defe e sua saudosa piscina que abrigou tantos atletas da natação de São Paulo.  Nadar nas piscinas de SP foi uma grande oportunidade : Clube Pinheiros, Tietê, Ipê, Corintians, Círculo Militar, Palmeiras, Alto de Pinheiros, Anhembi, Juventus , Portuguesa , Paulistano e Hebraica. Quem não conheceu a Lapa não conhece São Paulo.  Mas é importante conhecer o que está do outro lado da cidade.

E o Brás? Estação do norte que abrigava os que vinham do norte do Estado. O trem de aço para o  Rio de Janeiro …delicia!

Os magazines Mappin , Clipper que foram durante muitos anos centro das compras da classe média de SP.

E a rua Augusta que descia em cortejo todos os fins de semana : Chocolamour no Bambi, Mocassim da Spinelli ou La Pisanina , rua Augusta onde desfilavam as garotas de SP com as minis cada vez mais curtas , concorrendo com as garotas de Ipanema.

Descendo a Paulista , na Consolação o saudoso Cine Belas Artes das tardes de altos debates sobre os filmes franceses de primeira linha.

Caminhando pela Avenida Paulista encontramos a Avenida Angélica, princesinha que comunica os bairros do Pacaembu, Higienópolis e Cerqueira César  nos levando ao Pacaembu. Grande arena , o estádio do Pacaembu. 

São Paulo cresceu muito, se expandiu de oeste para sul e depois cresceu também para o norte e leste. Na Marginal do Pinheiros surgiram imponentes  condomínios comerciais . E  o  Jockey permaneceu soberano junto às novas construções.

Um bairro antigo de casas e chácaras foi demolido e virou bairro emergente com restaurantes, bares, casas noturnas com cardápios de todas as etnias: Itaim .Surgiu a Juscelino e a João Cachoeira teve que se modernizar, embora ainda se veja por lá algumas lojinhas do passado.

 Com os túneis  e o metrô SP ampliou os laços entre suas regiões  e hoje leste e oeste, norte e sul se comunicam com mais facilidade. Mas algumas regiões parecem ter permanecido intocadas: O Jardim Europa com seus casarões , e uma parte mais antiga do Morumbi. Parecem mini cidades dentro de SP.

 Mas se você quiser realmente conhecer SP vá ao jardim São Jorge, Nakamura, Campo Limpo, Monte Azul  e outras vilas periféricas da Zona Sul. Temos aí outras pequenas cidades dentro da cidade. E dê um pulinho na Zona Leste até o Itaim  Paulista e Guaianazes. Lá as ruas são de barro, terra batida e não há árvores. As casas são de madeira ou alvenaria e a iluminação principal é a televisão.

E é importante saber que há pessoas que viajam de trem e ônibus duas horas para atravessar a cidade todos os dias. Esse é o verdadeiro rosto da cidade de SP : seus contrastes.

 Como carioca posso dizer que é possível amar duas cidades. Amo o Rio e amo SP. Existe uma dureza nessa cidade que me ensinou a viver mas sem perder a poesia que trouxe  comigo do Rio. Existe um charme , um ar cosmopolita nessa cidade que me faz  sentir como que viajando  constantemente por novos lugares, estilos e mistérios. Isso também é poético.

Anúncios
Joca, meu cachorro amigo e não meu amigo cachorro.

Joca, meu cachorro amigo e não meu amigo cachorro.

Na noite do dia 13 de janeiro, o porteiro tocou a campanhia do meu apartamento para transmitir um recado do síndico de que meu cachorrinho estava latindo muito. Fiquei surpreendida porque se a convenção do Bretagne permite cachorros no condomínio se supõe que permita filhotes. E como se sabe filhotes latem mais do que o usual quando estão sozinhos para dormir. Assim ocorreu com meu cãozinho que está sendo devidamente por mim cuidado na sua adaptação à nova vida. Está no condomínio há cinco dias. Ruídos noturnos das festas nos apartamentos, das torcidas de futebol , dos moradores que gritam à janela à noite, de jovens em reunião noturna no jardim parecem não causar o mesmo incômodo. Alguém poderia me explicar porque quando um cachorro late depois das 22 hs o vizinho reclama mas quando tem jogo de futebol até altas horas , a gritaria rola solta , além das palavras de baixo calão nas janelas? Nos afastamos, moradores da cidade, da natureza. O que nos agride é o que nos faz sair da zona de conforto da ilha em que vivemos: nosso apartamento, nossa TV, nossos eletrônicos, enfim tudo aquilo que nos mantém protegidos do outro. Esse outro pode ser o latido noturno de um pequeno animal que fala uma língua da qual já nos esquecemos: a da natureza. Espero que a mesma tolerância que existe com os excessos humanos no condomínio tenhamos com os animais que ao contrário de estarem se excedendo buscam sua adaptação à megalópolis.

 Sincrônico ou sexto sentido segundos antes da campainha tocar o cachorrinho parou de latir e não latiu mais naquela noite.

Os duendes de estatísticas do WordPress.com prepararam um relatório para o ano de 2011 deste blog.

Aqui está um resumo:

Um bonde de São Francisco leva 60 pessoas. Este blog foi visitado cerca de 3.400 vezes em 2011. Se fosse um bonde, eram precisas 57 viagens para as transportar.

Clique aqui para ver o relatório completo