Sobre humanos e animais

14/01/2012

Joca, meu cachorro amigo e não meu amigo cachorro.

Joca, meu cachorro amigo e não meu amigo cachorro.

Na noite do dia 13 de janeiro, o porteiro tocou a campanhia do meu apartamento para transmitir um recado do síndico de que meu cachorrinho estava latindo muito. Fiquei surpreendida porque se a convenção do Bretagne permite cachorros no condomínio se supõe que permita filhotes. E como se sabe filhotes latem mais do que o usual quando estão sozinhos para dormir. Assim ocorreu com meu cãozinho que está sendo devidamente por mim cuidado na sua adaptação à nova vida. Está no condomínio há cinco dias. Ruídos noturnos das festas nos apartamentos, das torcidas de futebol , dos moradores que gritam à janela à noite, de jovens em reunião noturna no jardim parecem não causar o mesmo incômodo. Alguém poderia me explicar porque quando um cachorro late depois das 22 hs o vizinho reclama mas quando tem jogo de futebol até altas horas , a gritaria rola solta , além das palavras de baixo calão nas janelas? Nos afastamos, moradores da cidade, da natureza. O que nos agride é o que nos faz sair da zona de conforto da ilha em que vivemos: nosso apartamento, nossa TV, nossos eletrônicos, enfim tudo aquilo que nos mantém protegidos do outro. Esse outro pode ser o latido noturno de um pequeno animal que fala uma língua da qual já nos esquecemos: a da natureza. Espero que a mesma tolerância que existe com os excessos humanos no condomínio tenhamos com os animais que ao contrário de estarem se excedendo buscam sua adaptação à megalópolis.

 Sincrônico ou sexto sentido segundos antes da campainha tocar o cachorrinho parou de latir e não latiu mais naquela noite.

Anúncios

2 Respostas to “Sobre humanos e animais”

  1. Regina Maria Rodrigues Vieira Says:

    Nossa Célia, como eu te compreendo e concordo com voce.A natureza está se tornando uma estranha neste nosso mundo tecnológico.Precisamos dos animais, das árvores, dos pássaros e tudo o mais que nos lembre que também somos natureza.
    P.S. Teve um bar de samba na esquina que tocava na calçada até 2h ou mais, não respeitando minimamente ninguem.Não sou contra, até gosto, em ambientes fechados à noite.Barulhos de bicho e de criança é tão normal que eu não ouço.
    Beijos

    B

  2. Paula Says:

    Ah pois é,temos que saber nos comportar,saber entender o erro do próximo,ter cuidado com que diz pra não magoar os outros,mas o ser humanos esquecem, antes de mandar uma pessoa tocar sua campahinha e encher o saco por causa de um latido que não incomoda,mas incomoda os que nao tem o que fazer na vida.Por que estas pessoas nao vão fazer algo de útil na vida,porque nao vão ajudar ao próximo ao invés de ficar procurando problema onde nao tem;É porque essas pessoas nos incomodam até em seu respirar,porque são seres humanos em evolução,mas que não conseguem evoluir pois se prendem a pequenas coisas da vida.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: