Do amor

26/07/2009

Tristão e Isolda 

Será preciso nascer

E depois morrer,

Renascer de várias mortes.

De quantas mortes

 já me esqueci.

Do amor, jamais.