Psicologia e Humor

18/04/2015

Série “Pensando com humor a Psicologia”

1- O fato de que todo processo criativo se acompanha de um rebaixamento da consciência não significa que se o sujeito está dissociado é porque é muito criativo!

2- O problema das teorias de personalidade é de que ainda não foi inventada a mãe ideal. Tudo acaba na mãe:mãe suficientemente boa, mãe abandonadora, mãe terrível, super mãe. Estamos, porém, assistindo a um retorno à grande mãe arquetípica: filhos adultos que voltam para a casa da mãe acho que porque não conseguem viver sem ela. Um outro fenômeno da contemporaneidade é a mãe mil e uma utilidades : tapa todos os buracos mas não lhe é permitido ter uma identidade- mãe Refill de tudo !!!!

3 – A Barriga da vovó. Avós são grandes mães. Uma história de amor.

Diz João, meu neto: Vovó eu quero entrar dentro da sua barriga.

Por que ?

Porque eu gosto de mãe grávida.

Por que ?

Por que é macia, quentinho.

Eu quero abrir e pum !!!! Entrar na sua barriga. Você vai ter um nenezinho bem grande na sua barriga. Eu gosto de mãe grávida e vou mamar na sua barriga.
João entrou na barriga da vovó. Colocando a cabeça embaixo da blusa da vovó virou nenê.

4 – Myself , Psicologia e Humor

Selfie
Myself
Pau de selfie
Selfie sem pau
Selfiecity
Selfies
Selfish
Democracia?
Voyeurisme?
Presença?
Identidade?
Moda?
Auto – retrato?
Auto – imagem?
Busca de relevância?
Inclusão?
Narcisismo?
Selfie é só uma ferramenta de comunicação.
O que dizer de quem não tira Selfies ?
Medo de ser esquecido = adict to selfies
Medo de não ser curtido = self adicts anônimos. Autor : Celia Brandao


Psicologia e humor 5. Risotril é melhor que Rivotril! !!!!! Ria !!!

Psicologia e Humor 6 : Perdemos tanto tempo em tentar entender o motivo de uma paixão mas depois de muita estrada percorrida, se conseguirmos explicar, não foi paixão. E o amor….ah o amor….a resposta mais sincera é…porque sim !!!! CB.


“O amor é uma agonia
Vem de noite vai de dia”

Parafraseando Vinicius de Moraes

Vem de dia, vai de noite
Vem e vai dia e noite
Um dia vai, no outro à noite
Vem uma noite, vai outro dia
Vem e vai, vai e vem.
Vem e vai, vai e vem.
Amor que vai
Amor que vem. CB.

Psicologia e humor 7. Essa foto eu roubei. É tão difícil reprimir o desejo sem uma visão imediata da recompensa……..Eu ontem sonhei com você……


Psicologia e humor 8 : Essa é para cantar várias vezes, infinitas vezes. rs. Dizia o Caetano :”Tá na cara você não vê que a caretice está no medo você não vê. Que o medo está na medula, você não vê. Que o segredo está na cara , está na cara, está na cura….. do mêdo.

Psicologia e humor 9 :  Crianças quando querem aprender uma palavra repetem- na várias vezes. Vamos exercitar como as crianças. O mais dificil não é ouvir um não. Mas sim aprender a dizer não. Repitam comigo: Não, Não, Não, Não, Não, Não. Em treinamento…

Psicologia e humor 10: (Humor Saudoso) Saudades é a herança psíquica de algo que valeu à pena. CB.

Psicologia e humor 11: “O après-coup designa a temporalidade psíquica, que não corresponde a uma causalidade linear,mas obedece a uma reinterpretação a posteriori frequentemente traumática de eventos vividos na infância sob efeito da maturação sexual.” Entenderam ? Estudando Freud.

Psicologia e Humor 12:  Narcisismo ( Não é para rir esse) “O narcisista é aquele que quer que o Outro o creia indiferente, e o humilhado aquele que crê nessa comédia….Quanto mais eu desejo o meu modelo, mais ele vai se tornar indiferente, quanto mais eu o amo mais ele vai se amar. Quanto mais eu me aproximo dele para sair de mim, mais ele vai se voltar para si mesmo, acabando por dar-me as costas. Eu o ajudo a divinizar-se.” René Girard.Parte superior do formulário

Aniversário

Fernando Pessoa
(Álvaro de Campos)

No TEMPO em que festejavam o dia dos meus anos,
Eu era feliz e ninguém estava morto.
Na casa antiga, até eu fazer anos era uma tradição de há séculos,
E a alegria de todos, e a minha, estava certa com uma religião qualquer.

No TEMPO em que festejavam o dia dos meus anos,
Eu tinha a grande saúde de não perceber coisa nenhuma,
De ser inteligente para entre a família,
E de não ter as esperanças que os outros tinham por mim.
Quando vim a ter esperanças, já não sabia ter esperanças.
Quando vim a olhar para a vida, perdera o sentido da vida.

Sim, o que fui de suposto a mim-mesmo,
O que fui de coração e parentesco.
O que fui de serões de meia-província,
O que fui de amarem-me e eu ser menino,
O que fui — ai, meu Deus!, o que só hoje sei que fui…
A que distância!…
(Nem o acho…)
O tempo em que festejavam o dia dos meus anos!

O que eu sou hoje é como a umidade no corredor do fim da casa,
Pondo grelado nas paredes…
O que eu sou hoje (e a casa dos que me amaram treme através das minhas
lágrimas),
O que eu sou hoje é terem vendido a casa,
É terem morrido todos,
É estar eu sobrevivente a mim-mesmo como um fósforo frio…

No tempo em que festejavam o dia dos meus anos…
Que meu amor, como uma pessoa, esse tempo!
Desejo físico da alma de se encontrar ali outra vez,
Por uma viagem metafísica e carnal,
Com uma dualidade de eu para mim…
Comer o passado como pão de fome, sem tempo de manteiga nos dentes!

Vejo tudo outra vez com uma nitidez que me cega para o que há aqui…
A mesa posta com mais lugares, com melhores desenhos na loiça, com mais copos,
O aparador com muitas coisas — doces, frutas o resto na sombra debaixo do alçado —,
As tias velhas, os primos diferentes, e tudo era por minha causa,
No tempo em que festejavam o dia dos meus anos…

Pára, meu coração!
Não penses! Deixa o pensar na cabeça!
Ó meu Deus, meu Deus, meu Deus!
Hoje já não faço anos.
Duro.
Somam-se-me dias.
Serei velho quando o for.
Mais nada.
Raiva de não ter trazido o passado roubado na algibeira!…

O tempo em que festejavam o dia dos meus anos!…

Psicologia e humor 13. Um coelho pulou dentro da minha taça de vinho. Atrevido. Disse que queria brindar comigo porque depois da Páscoa tudo será maravilhoso. As mágoas irão passar, o dinheiro aumentar, o país melhorar e todos os desejos serão realizados. Alerta: Beba com moderação !!!!!! Ups !!!! Feliz Páscoa !!!

Psicologia e Humor 14 Páscoa 2015: O coelho saiu da taça de vinho estranhando o mundo e cheio de amor para dar.
Psicologia e Humor 15: Polissonografia é um exame para avaliar o sono, extremamente desconfortável, em que você tem que dormir com cateter no nariz, esparadrapado com censores, cola no cabelo e rosto e fios por todo o corpo. Detalhe; Durma porque senão tem que refazer.kkkkkkkkkkk ps. A máquina às vezes falha e não registra. Vero.Parte inferior do formulário

Anúncios

 

rir para não chorar

http://www.conjur.com.br/2014-abr-03/celia-brandaopsicologia-contribuir-estudo-leis-tributarias

 

http://www.youtube.com/watch?v=cg2Pev4TXJs

Em 1910 se dá o segundo Congresso Internacional de psicanálise em Nuremberg. Jung assume por indicação de Freud a presidência da Associação Internacional de Psicanálise.

Em 1911 houve o terceiro Congresso Internacional de Psicanálise em Weimar e Jung escreve a primeira parte de “Metamorfoses e Símbolos da Libido.”

Em 1912 profere nove conferências sobre a teoria psicanalítica na Fordham University (NY). Estas conferências foram compiladas e publicadas em 1913 no volume quatro das obras completas de Jung.  Nessa época enviou a Freud a segunda parte de “Metamorfoses e Símbolos da Libido”.

Estabeleceu então, intensa relação com Freud até 1913 quando começaram a discutir sobre suas divergências quanto ao conceito de libido.

Sobre a teoria da libido, o diálogo entre Freud e Jung resgatado na correspondência entre os dois psicanalistas, atesta a tensão gerada pela divergência.

Essa correspondência se divide entre um periodo inical de entusiasmo, e um periodo onde começam as dúvidas como na carta, cujo trecho relato a seguir.

Diz Jung:

“…. Gostaria de pedir-lhe um esclarecimento: O senhor considera a sexualidade a mãe de todos os sentimentos? A sexualidade não é para o senhor apenas um componente da personalidade (ainda que o mais importante) e, nesse caso, o complexo sexual não seria o mais importante e o mais frequente componente no quadro clínico da histeria? Não há sintomas histéricos que, embora codeterminados pelo complexo sexual, são condicionados predominantemente por uma sublimação ou por um complexo não sexual ( profissão, emprego, etc) ? Decerto em minha pouca experiência, vi apenas complexos sexuais e o direi explicitamente em Amsterdam. Cordiais saudações. Sinceramente, Jung.” Carta 39 J 19/8/1907

Responde Freud:

“…No tocante à sua pergunta , nem numa resma desse papel caberia resposta. Não que meu saber seja tanto: as possibilidades igualmente válidas é que são muitas. Não acredito por ora que alguém acerte ao dizer que a sexualidade é a mãe de todos os sentimentos. Sabemos como o poeta, de duas fontes instintuais. A sexualidade é uma delas. Um sentimento parece ser a percepção íntima de uma catexia instintual. Indubitàvelmente há sentimentos que brotam de uma combinação das duas fontes[……] É simplesmente como uma necessidade teórica que encaro ( por ora) o papel dos complexos sexuais na histeria; e não deduzo isso da frequência e intensidade dos mesmos . Acho que ainda não se pode ter provas. Não é conclusivo o fato de vermos pessoas vitimadas pelo trabalho, etc., pois o componente sexual no homem homossexual é facilmente demonstrável na análise. Sei que nalgum ponto encontramos o conflito entre catexia do ego e catexia objetal, mas observação direta clinica nem mesmo posso especular.

Estou tão desligado de tudo que nem sequer sei a data do Congresso de Amsterdam. Mas espero, antes disso, ter noticias suas. Ficarei aqui até 10 de setembro. Cordialmente Dr Freud. ” Carta 40 F 27/8/1907

Freud refere- se aqui aos chamados instintos de conservação, à fome , especificamente. Para Freud nessa época, haviam duas fontes instintuais: os instintos sexuais e os de conservação. Mais tarde irá rever sua teoria das pulsões no artigo de 1920 “Mais além do princípio do prazer .”

O poeta citado por Freud é Schiller:

“ Enquanto ninguém o mundo

Constrói em filosofia

A força que impera e manda

É um duplo de amor e fome.”

Em outra carta diz Jung:

…”Tentei assentar o simbólico numa base psicogenética, ou seja , mostrar que na fantasia individual o primum movens, o conflito individual- matéria ou forma como se prefira- é mítico ou mitològicamente típico. 175J 30/1/1910

Para Jung não há uma pulsão primordial na motivação humana.