Homenagem aos pais ( texto extraído parcialmente do livro Lavoura arcaica )

O tempo é o maior tesouro de que um homem pode dispor. Embora inconsumível, o tempo é nosso melhor alimento. Sem medida que o conheça, o tempo é, contudo, nosso bem de maior grandeza. não tem começo, não tem fim. É um pomo exótico que não pode ser repartido, podendo, entretanto, prover igualmente a todo mundo. Onipresente, o tempo está em tudo.

 Rico não é o homem que coleciona e se pesa no amontoado de moedas. E, nem aquele, devasso, que se estende, mãos e braços, em terras largas. Rico é o homem que aprendeu , piedoso e humilde, a conviver com o tempo, aproximando-se dele com ternura, estando atento para o seu fluxo. 

  Meu comentário:

Caminhada feita , o reconhecimento aos pais que apostaram no tempo e  nele investiram. Ter filhos é investir no tempo. É investir em um devir para o qual nos lançamos. Temer ter filhos ou abandonar os filhos é abandonar o investimento nesse não determinado.  Saber “brindar o tempo com sabedoria’ como  foi feita a referência , talvez seja mesmo o patrimônio da paternidade e da maternidade. Contemplar o desenvolvimento de um filho,  acompanhando e respeitando seu processo.   Mas não devemos esperar por um retorno externo ou do resultado final mas nos alimentar do gosto agridoce da trajetória.

E a fala continua: “Queridos pais, mães aqui presentes, obrigada pela ternura, pela paciência, pelos conselhos , pela dedicação.

Saibam que “brindar o tempo com sabedoria”é a maior de todas as lições que recebemos de vocês!

Anúncios