O jegue

20/09/2009

jegue 2

 

Um porteiro de prédio em São Paulo perguntou ao outro se sabia quem puxava carroça lá em Sergipe. O outro disse… cavalo?..

Eu ía passando, me intrometi na conversa e disse: jegue. O outro imediatamente retrucou : Isso. Jegue! E continuou falando: Mas aqui em São Paulo, é gente que puxa carroça.

  Eu disse em seguida: Você quer dizer que aqui gente e jegue é às vezes a mesma coisa?

 Ele respondeu pensativo: É… A conversa continuou entre os dois.

 Sai pensando …. Pior que isso. Jegue é uma “celebridade” no nordeste, tem direitos, cuidados, tempo de serviço, funeral com homenagem, divide comida com o patrão, carinho, amor,  e sua casa não é a carroça que puxa. Pertence a algum lugar, sentem sua falta quando se afasta de casa, tem sua identidade reconhecida.