Não existe amor em SP

Um labirinto místico

Onde os grafitis gritam

Não dá pra descrever

Numa linda frase

De um postal tão doce

Cuidado com doce

São Paulo é um buquê

Buquês são flores mortas

Num lindo arranjo

Arranjo lindo feito pra você

Não existe amor em SP

Os bares estão cheios de almas tão vazias

A ganância vibra, a vaidade excita

Devolva minha vida e morra afogada em seu próprio mar de fel

Aqui ninguém vai pro céu

Não precisa morrer para ver Deus

Não precisa sofrer pra saber o que é melhor pra você

Encontro tuas nuvens em cada escombro, em cada esquina

Me dê um gole de vida

Não precisa morrer pra ver Deus

http://youtu.be/f35HluEYpDs

O rapper Criolo dá uma aula de psicologia e de como viver na grande metrópole sem ser tragado.  Sabedoria de quem cresceu às custas do próprio esforço e talento. Mostra que “não existem fronteiras”para sua poesia como canta em outra música sua.

“No líquido cenário da vida moderna, os relacionamentos são bençãos ambíguas. Oscilam entre o sonho e o pesadelo, e não há como determinar quando um se transforma no outro. Na maior parte do tempo esses dois avatares coabitam, em diferentes níveis de consciência. No líquido cenário da vida moderna, os relacionamentos talvez sejam os representantes mais comuns, agudos, perturbadores e profundamente sentidos da ambivalência.” Zigmunt Baumann

Na letra de criolo essa ambivalência está presente.

[…]”São Paulo é um buquê. Buquê são flores mortas. ”

[…] Numa linda frase

de um postal tão doce

Cuidado com doce

Como doce a megalópole atrai e vicia. Quem já comeu desse doce sabe. E Criolo sabe.