Caiu-me nas mãos uma hora dessas um parágrafo do livro “De que amanhã “Diálogo de  Jacques Derrida e Elisabeth Roudinesco. Elisabeth Roudinesco é uma psicanalista lacaniana cujas idéias contracenam muito bem com a Psicologia Analítica. Derrida dispensa comentários a respeito de sua obra. Quando refletem sobre o lugar da psicanálise na contemporaneidade, Derrida enfatiza a questão da responsabilidade…” em lugar de um sujeito consciente de si mesmo, respondendo soberanamente por si mesmo perante a lei, pode-se contrapor a idéia de idéia de um sujeito dividido, diferenciado, que não seja reduzido a uma intencionalidade consciente e egológica.” Nessa perspectiva, o sujeito  instala trabalhosamente, em processo, sempre em processo, e imperfeitamente as condições estabilizadas de sua autonomia que se funda em uma heteronomia.

O modelo patriarcal de consciência tenta aplainar as diferenças.  Nesse modelo, acreditamos na autoridade soberana do eu, da consciência e da vontade mas tentamos negar o inconsciente como já nos havia alertado Jung. Derrida mantém seminário intitulado “Questões de responsabilidade”  onde debatem sobre as questões de : testemunho, sigilo, hospitalidade ao estrangeiro, perdão e pena de morte.

Tenta compreender o que querem dizer os têrmos: “responder perante”, ‘responder a”,” responder de “, “responder de si “examinados à luz  do que, segundo o autor, ainda se chama inconsciente.

O cidadão não experimenta ou experimenta de que forma o que  lhe dizemos ser comum?

Foto do Jornal folha de São Paulo de 1987 _ Entrevista Celia Brandão

Foto do Jornal folha de São Paulo de 1987 _ Entrevista Celia Brandão

A Psicologia Analítica pode nos ajudar a refletir sobre essas questões  com as noções de inconsciente, consciência coletiva, consciência individual e inconsciente coletivo.

Diz Roudinesco: “A liberdade de falar em seu nome, e portanto de interrogar a essência de sua própria alienação, é indissociável do exercício da associação livre que caracteriza o tratamento freudiano.

Acrescentaria que do ponto de vista da Psicologia Analítica, a consciência se constrói através de uma relação dialética com o inconsciente, sendo este último criativo. Uma nova ética deverá levar esses fatores em consideração.

Anúncios

Twitter

21/12/2009

Quem não sabe o que é Twitter, Facebook, Youtube, Iphone, Ipod, Blog, Bluetooh, My espace, Orkurt, e outras tecnologias não chegou ainda no século 21. Roberto de Oliveira comenta  esses assunto em sua matéria Velho mundo Novo na Revista da folha de 20 de Dezembro de 2009.

Estou no twitter há poucos meses. Meu blog ainda não completou um ano. Quase  não chego ao século 21 se não fosse o facebook, o plaxo, o linkedin, o meu site que já existe há algum tempo, e a minha convivência nos outros espaços  da internet por motivos profissionais.

O mais impactante é o twitter. Um espaço de 140 caracteres onde você deve dar o seu recado. A possibilidade de comunicar idéias, afetos, emoções, de forma transparente , sem rodeios. Ou ao contrário escapar de uma auto-retratação de forma ágil , criativa, estabelecendo uma medida entre a auto-exposição e a intimidade.

Li alguns twitters muito bem humorados, criativos e outros com um implícito desabafo. Seja qual for a finalidade para o sujeito, o twitter é um espaço de expressão de idéias e emoções.

A possibilidade de simetria me parece um ideal a ser perseguido  em uma sociedade pautada pelas diferenças. Mas o respeito às diferenças é fundamental para que se efetue o diálogo.

Se acreditarmos que adultos podem aprender com adolescentes, que famosos podem e devem se voltar para os anônimos, o Twitter é um ótimo espaço de humanização de nossos mitos e de individuação. Portanto, um espaço revolucionário e democrático das relações e de desenvolvimento da consciência coletiva, se forem respeitadas as diferenças e ouvidas as vozes dos anônimos também.