Ausência: lembrança de uma presença.

Parece que foi ontem
Aqui…tão perto.
Você …eu.
Nós ainda havia.
Rindo muito.
Muito.

Sons flutuavam.
Imagens vibravam.
Lembranças .
Lembranças.

Está tudo tão bem.
Quase bem.
Até que suportável
Tragável.
Às vezes intragável

Quem sabe um vinho. CB

Ausência

07/07/2010

 

Visita

 Ferreira Gullar 

No dia de finados

 ele foi  ao cemitério

porque era o único

lugar do mundo onde

  podia estar

 perto do filho  mas

 diante daquele

  bloco negro

 de pedra

entendeu

impenetrável

 que nunca mais

 poderia

 alcançá-lo

  apanhou do chão um

 pedaço amarrotado

 de papel escreveu

 eu te amo filho

 pôs em cima do  

mármore sob uma flor

 e saiu

Soluçando

Ferreira Gullar .

  Ferreira Gullar destaca o caráter intangível da emocão da perda e  do luto. A perda da possibilidade de contato físico com o morto,  confere ao pensamento a tarefa e única possibilidade de ressuscitar e matar o objeto de amor na  vivência emocional, percorrendo um caminho do sentimento de ausência até a vivência mais plena da morte.

    Segundo Winnicott : “Manipular a ausência, é alongar esse momento, retardar tanto quanto possível o instante em que o outro poderia oscilar sêcamente da ausência à morte.”

Ausencia

04/07/2010

Visita

Ferreira Gullar

No dia de finados

ele foi ao cemitério

porque era o único

lugar do mundo onde

podia estar

perto do filho  mas

diante daquele

bloco negro

de pedra

entendeu

impenetrável

que nunca mais

poderia

alcançá-lo

apanhou do chão um

pedaço amarrotado

de papel escreveu

eu te amo filho

pôs em cima do

mármore sob uma flor

e saiu

Soluçando

Ferreira Gullar .

Ferreira Gullar destaca el carácter intangible de la emoción de la pérdida y del luto. La pérdida de la posibilidad de contacto físico con el muerto, le confiere al pensamiento la tarea y única posibilidad de resucitar y matar el objeto de amor en la vivencia emocional, recorriendo un camino del sentimiento de ausencia hasta la vivencia más plena de la muerte.

Según Winnicott : “Manipular la ausencia, es alargar ese momento, retardar tanto como posible el instante en que el Otro podría oscilar secamente de la ausencia a la muerte.”