05/12/2015

Anúncios

O outro

01/12/2015

No século XIX Nietzsche afirmou que deus estava morto. Outros deuses nasceram: a ciência, a tecnologia e a economia. A tecnologia estreitou distâncias e somos informados até sobre o que não desejamos saber.

De que outro falamos ? Do que ficou embaixo da avalanche de lama, do que foi assassinado em Paris, da criança síria que viu seus sonhos morrer literalmente na praia, das crianças mortas em território Sírio, dos esfaqueados em  Israel, dos mortos por bala perdida no Rio de Janeiro, dos que morreram no incêndio da boate Kiss.

Calçados são enfileirados na Place de la Republique em Paris. O combate ao aquecimento global depende da cooperação de todos. Mas como se a lei do salve-se quem puder  prevalece à ética e ao respeito ao próximo ?

A solidão do homem contemporâneo e sua melancolia  à procura de um outro onde pendurar seus sonhos reflete a dissociação do eu interior, o outro eu.

A falta de contato com a possibilidade de transcendência  nos lança em dilemas ficcionais. lama

 

 

 

 

 

Rio Doce

23/11/2015

lamaRio Doce

O homem e a natureza
Amor não correspondido
Reprime, reprime, reprime
Narciso sucumbe a Eros,
Contempla e chora.
Rastros, lembranças, gozo.
Sombras, cheiros, gostos.
Reprime, reprime, reprime.
Sombras não se esgotam
Perfuram os véus da censura.
Contempla e chora.
Amor não correspondido.
Reprime, reprime, reprime.
A lama chegou no mar.
Mar e lama.
Amor não correspondido. Celia Brandão.

Psicologia e Humor 55: Psicologia e humor 55 : Existe um ponto no trapézio inferior a que a Bioenergética atribuiu o significado simbólico de couraça relacionada ao sentimento de raiva. Essa tensão se irradiada ao ramo do trapézio superior na base do crânio, região occipital pode se ligar também à tensão cervical e à trava do maxilar. Um recurso utilizado por Lowen era desbloquear a tensão muscular enquanto o cliente daria socos em uma almofada. Se resolvia o problema de origem tenho dúvidas. A não ser acompanhado de boas interpretações simbólicas. A idéia de que qualquer trabalho corporal e expressivo colabora para a expansão da alma em um sentido positivo tem suas controvérsias. Freud abandonou o método catártico no século XIX.

caduceu-em-seloPsicologia e humor 50: A mediação de conflitos envolve empatia crítica. No curso que dou no Sedes Sapientiae sobre mediação e violência, parte do curso da Silvana Parisi “Dimensão Amorosa: Um enfoque Junguiano”, enfatizo a empatia, não como relativismo moral e nem o moralismo fácil, termos de Jonathan Jansen, reitor da Universidade de Free State, South Africa. Empatia é aproximar-se do outro sem pré- julgamentos e compreender que sob determinadas circunstâncias todos podemos ser injustos e sermos capazes de violência. Empatia é também reconhecer-se no outro. Nesse sentido somos todos vulneráveis. Rejeitamos o outro para nos defendermos mas a ameaça está em nós mesmos. Os passos são: integração, reparação e reconciliação. Só dessa forma podemos falar em relações amorosas. Celia Brandão.

Identidades

26/06/2015

Caras e Bocas.

Sua cara, sua boca,
Minha cara, minha boca.
Nossa boca, nossa cara
Onde tudo se mistura,
Onde tudo se separa
Último tango em Paris 7

Psicologia e Humor

26/06/2015

Psicologia e Humor 37: O que ocorre quando você viaja com excesso de bagagem? Ou paga multa ou tem que deixar uma parte fora da viagem. Os seres humanos possuem talentos que são aprimorados e junto com sua experiência de vida constituem “sua bagagem”. Construir uma bagagem demora anos de vida. Mas o mais difícil é acomodar devidamente e em proporções adequadas essa bagagem nos relacionamentos e diferentes situações e momentos.
Não existe situação mais desagradável do que conversar com uma pessoa que joga sua bagagem, no banco do passageiro entre você e ela, espremendo você contra a porta, mesmo quando nesse momento é você o motorista. O mais difícil não é ter bagagem , é saber adequá-la às situações. Em um dia ser simbólicamente, motorista e, em outro, aceitar ser conduzido, ser passageiro nos relacionamentos. Celia Brandão