05/12/2015

O outro

01/12/2015

No século XIX Nietzsche afirmou que deus estava morto. Outros deuses nasceram: a ciência, a tecnologia e a economia. A tecnologia estreitou distâncias e somos informados até sobre o que não desejamos saber.

De que outro falamos ? Do que ficou embaixo da avalanche de lama, do que foi assassinado em Paris, da criança síria que viu seus sonhos morrer literalmente na praia, das crianças mortas em território Sírio, dos esfaqueados em  Israel, dos mortos por bala perdida no Rio de Janeiro, dos que morreram no incêndio da boate Kiss.

Calçados são enfileirados na Place de la Republique em Paris. O combate ao aquecimento global depende da cooperação de todos. Mas como se a lei do salve-se quem puder  prevalece à ética e ao respeito ao próximo ?

A solidão do homem contemporâneo e sua melancolia  à procura de um outro onde pendurar seus sonhos reflete a dissociação do eu interior, o outro eu.

A falta de contato com a possibilidade de transcendência  nos lança em dilemas ficcionais. lama

 

 

 

 

 

Rio Doce

23/11/2015

lamaRio Doce

O homem e a natureza
Amor não correspondido
Reprime, reprime, reprime
Narciso sucumbe a Eros,
Contempla e chora.
Rastros, lembranças, gozo.
Sombras, cheiros, gostos.
Reprime, reprime, reprime.
Sombras não se esgotam
Perfuram os véus da censura.
Contempla e chora.
Amor não correspondido.
Reprime, reprime, reprime.
A lama chegou no mar.
Mar e lama.
Amor não correspondido. Celia Brandão.

Psicologia e Humor 55: Psicologia e humor 55 : Existe um ponto no trapézio inferior a que a Bioenergética atribuiu o significado simbólico de couraça relacionada ao sentimento de raiva. Essa tensão se irradiada ao ramo do trapézio superior na base do crânio, região occipital pode se ligar também à tensão cervical e à trava do maxilar. Um recurso utilizado por Lowen era desbloquear a tensão muscular enquanto o cliente daria socos em uma almofada. Se resolvia o problema de origem tenho dúvidas. A não ser acompanhado de boas interpretações simbólicas. A idéia de que qualquer trabalho corporal e expressivo colabora para a expansão da alma em um sentido positivo tem suas controvérsias. Freud abandonou o método catártico no século XIX.

caduceu-em-seloPsicologia e humor 50: A mediação de conflitos envolve empatia crítica. No curso que dou no Sedes Sapientiae sobre mediação e violência, parte do curso da Silvana Parisi “Dimensão Amorosa: Um enfoque Junguiano”, enfatizo a empatia, não como relativismo moral e nem o moralismo fácil, termos de Jonathan Jansen, reitor da Universidade de Free State, South Africa. Empatia é aproximar-se do outro sem pré- julgamentos e compreender que sob determinadas circunstâncias todos podemos ser injustos e sermos capazes de violência. Empatia é também reconhecer-se no outro. Nesse sentido somos todos vulneráveis. Rejeitamos o outro para nos defendermos mas a ameaça está em nós mesmos. Os passos são: integração, reparação e reconciliação. Só dessa forma podemos falar em relações amorosas. Celia Brandão.

Identidades

26/06/2015

Caras e Bocas.

Sua cara, sua boca,
Minha cara, minha boca.
Nossa boca, nossa cara
Onde tudo se mistura,
Onde tudo se separa
Último tango em Paris 7

Ausência: lembrança de uma presença.

Parece que foi ontem
Aqui…tão perto.
Você …eu.
Nós ainda havia.
Rindo muito.
Muito.

Sons flutuavam.
Imagens vibravam.
Lembranças .
Lembranças.

Está tudo tão bem.
Quase bem.
Até que suportável
Tragável.
Às vezes intragável

Quem sabe um vinho. CB

Quando nos separamos de alguém que amamos o que fica é a memória dos bons momentos.  Voltamos aos mesmos lugares para nos apossar do vivido. De tanto rever os objetos, os lugares, ouvir a música e a voz que gravamos permitimos que esse ser que amamos nos habite, una-se à nossa história como uma camada de nossa pele.  Essas imagens convertem-se em memória do vivido e do não vivido.  Consola-nos ouvir histórias mesmo que contadas por outros a respeito do ser amado. A cada detalhe dessa história é mais um se apossar de sua imagem, de possuí-lo. Mas esse se apossar depende de nossa capacidade de imaginar, de fabular e fazer sonhos.  Reconstruímos a imagem do outro e nossa memória utilizando o conhecido e o que imaginamos.

Assim também faz o artista que se apossa da realidade se transformando e transformando-a.  Quando nos afastamos do outro percebemos como é tênue o limite entre o que vemos e o que imaginamos. Quem era ele/ Quem sou eu?  Essa possibilidade de utilizar a própria sensibilidade e imaginação para reconstruir a imagem do outro e de si mesmo é  o campo da arte como também da psicologia por caminhos diferentes. A utilização da imagem como símbolo na psicologia demonstra que é possível acessar sentimentos, emoções através do pensamento sintético, das imagens, da música, da linguagem poética.

Quando nos afastamos do convencional, das justificativas racionais, das explicações e atribuições de culpa e responsabilidade diante dos fatos, podemos acessar o essencial, o que nos une e nos separa do outro.

Na prática de lembrar e relembrar se dá o trazer e mandar embora aquele que amamos. Mas agora permitindo a permanência dos rastros.

A arte possibilita essa mediação entre os dois momentos: o da presença concreta do outro e o de sua ausência inaugurando uma outra presença, essa simbólica. Cantar a cantiga que chora o morto é uma maneira de trazê-lo de volta para reafirmar sua partida.

Desenhar a presença do outro no meu imaginário pode ser trazê-lo, humanizá-lo mesmo na sua ausência. A arte possibilita o ver através do mais imediato e óbvio, criando novas perspectivas de percepção. Bebe e se lambuza da realidade para transformá-la.

Posso reinventar uma história vivida escrevendo um poema. A linguagem poética suspende a explicação racional para instalar o espaço do sentir e da experiência. Instala-se em um tempo simbólico, não linear, que permite a superposição de imagens, a coexistência das contradições, o diálogo entre o bem e o mal, no qual não há mais culpados e vítimas.Insensatez 001

Psicologia e Humor

18/04/2015

Série “Pensando com humor a Psicologia”

1- O fato de que todo processo criativo se acompanha de um rebaixamento da consciência não significa que se o sujeito está dissociado é porque é muito criativo!

2- O problema das teorias de personalidade é de que ainda não foi inventada a mãe ideal. Tudo acaba na mãe:mãe suficientemente boa, mãe abandonadora, mãe terrível, super mãe. Estamos, porém, assistindo a um retorno à grande mãe arquetípica: filhos adultos que voltam para a casa da mãe acho que porque não conseguem viver sem ela. Um outro fenômeno da contemporaneidade é a mãe mil e uma utilidades : tapa todos os buracos mas não lhe é permitido ter uma identidade- mãe Refill de tudo !!!!

3 – A Barriga da vovó. Avós são grandes mães. Uma história de amor.

Diz João, meu neto: Vovó eu quero entrar dentro da sua barriga.

Por que ?

Porque eu gosto de mãe grávida.

Por que ?

Por que é macia, quentinho.

Eu quero abrir e pum !!!! Entrar na sua barriga. Você vai ter um nenezinho bem grande na sua barriga. Eu gosto de mãe grávida e vou mamar na sua barriga.
João entrou na barriga da vovó. Colocando a cabeça embaixo da blusa da vovó virou nenê.

4 – Myself , Psicologia e Humor

Selfie
Myself
Pau de selfie
Selfie sem pau
Selfiecity
Selfies
Selfish
Democracia?
Voyeurisme?
Presença?
Identidade?
Moda?
Auto – retrato?
Auto – imagem?
Busca de relevância?
Inclusão?
Narcisismo?
Selfie é só uma ferramenta de comunicação.
O que dizer de quem não tira Selfies ?
Medo de ser esquecido = adict to selfies
Medo de não ser curtido = self adicts anônimos. Autor : Celia Brandao


Psicologia e humor 5. Risotril é melhor que Rivotril! !!!!! Ria !!!

Psicologia e Humor 6 : Perdemos tanto tempo em tentar entender o motivo de uma paixão mas depois de muita estrada percorrida, se conseguirmos explicar, não foi paixão. E o amor….ah o amor….a resposta mais sincera é…porque sim !!!! CB.


“O amor é uma agonia
Vem de noite vai de dia”

Parafraseando Vinicius de Moraes

Vem de dia, vai de noite
Vem e vai dia e noite
Um dia vai, no outro à noite
Vem uma noite, vai outro dia
Vem e vai, vai e vem.
Vem e vai, vai e vem.
Amor que vai
Amor que vem. CB.

Psicologia e humor 7. Essa foto eu roubei. É tão difícil reprimir o desejo sem uma visão imediata da recompensa……..Eu ontem sonhei com você……


Psicologia e humor 8 : Essa é para cantar várias vezes, infinitas vezes. rs. Dizia o Caetano :”Tá na cara você não vê que a caretice está no medo você não vê. Que o medo está na medula, você não vê. Que o segredo está na cara , está na cara, está na cura….. do mêdo.

Psicologia e humor 9 :  Crianças quando querem aprender uma palavra repetem- na várias vezes. Vamos exercitar como as crianças. O mais dificil não é ouvir um não. Mas sim aprender a dizer não. Repitam comigo: Não, Não, Não, Não, Não, Não. Em treinamento…

Psicologia e humor 10: (Humor Saudoso) Saudades é a herança psíquica de algo que valeu à pena. CB.

Psicologia e humor 11: “O après-coup designa a temporalidade psíquica, que não corresponde a uma causalidade linear,mas obedece a uma reinterpretação a posteriori frequentemente traumática de eventos vividos na infância sob efeito da maturação sexual.” Entenderam ? Estudando Freud.

Psicologia e Humor 12:  Narcisismo ( Não é para rir esse) “O narcisista é aquele que quer que o Outro o creia indiferente, e o humilhado aquele que crê nessa comédia….Quanto mais eu desejo o meu modelo, mais ele vai se tornar indiferente, quanto mais eu o amo mais ele vai se amar. Quanto mais eu me aproximo dele para sair de mim, mais ele vai se voltar para si mesmo, acabando por dar-me as costas. Eu o ajudo a divinizar-se.” René Girard.Parte superior do formulário

Aniversário

Fernando Pessoa
(Álvaro de Campos)

No TEMPO em que festejavam o dia dos meus anos,
Eu era feliz e ninguém estava morto.
Na casa antiga, até eu fazer anos era uma tradição de há séculos,
E a alegria de todos, e a minha, estava certa com uma religião qualquer.

No TEMPO em que festejavam o dia dos meus anos,
Eu tinha a grande saúde de não perceber coisa nenhuma,
De ser inteligente para entre a família,
E de não ter as esperanças que os outros tinham por mim.
Quando vim a ter esperanças, já não sabia ter esperanças.
Quando vim a olhar para a vida, perdera o sentido da vida.

Sim, o que fui de suposto a mim-mesmo,
O que fui de coração e parentesco.
O que fui de serões de meia-província,
O que fui de amarem-me e eu ser menino,
O que fui — ai, meu Deus!, o que só hoje sei que fui…
A que distância!…
(Nem o acho…)
O tempo em que festejavam o dia dos meus anos!

O que eu sou hoje é como a umidade no corredor do fim da casa,
Pondo grelado nas paredes…
O que eu sou hoje (e a casa dos que me amaram treme através das minhas
lágrimas),
O que eu sou hoje é terem vendido a casa,
É terem morrido todos,
É estar eu sobrevivente a mim-mesmo como um fósforo frio…

No tempo em que festejavam o dia dos meus anos…
Que meu amor, como uma pessoa, esse tempo!
Desejo físico da alma de se encontrar ali outra vez,
Por uma viagem metafísica e carnal,
Com uma dualidade de eu para mim…
Comer o passado como pão de fome, sem tempo de manteiga nos dentes!

Vejo tudo outra vez com uma nitidez que me cega para o que há aqui…
A mesa posta com mais lugares, com melhores desenhos na loiça, com mais copos,
O aparador com muitas coisas — doces, frutas o resto na sombra debaixo do alçado —,
As tias velhas, os primos diferentes, e tudo era por minha causa,
No tempo em que festejavam o dia dos meus anos…

Pára, meu coração!
Não penses! Deixa o pensar na cabeça!
Ó meu Deus, meu Deus, meu Deus!
Hoje já não faço anos.
Duro.
Somam-se-me dias.
Serei velho quando o for.
Mais nada.
Raiva de não ter trazido o passado roubado na algibeira!…

O tempo em que festejavam o dia dos meus anos!…

Psicologia e humor 13. Um coelho pulou dentro da minha taça de vinho. Atrevido. Disse que queria brindar comigo porque depois da Páscoa tudo será maravilhoso. As mágoas irão passar, o dinheiro aumentar, o país melhorar e todos os desejos serão realizados. Alerta: Beba com moderação !!!!!! Ups !!!! Feliz Páscoa !!!

Psicologia e Humor 14 Páscoa 2015: O coelho saiu da taça de vinho estranhando o mundo e cheio de amor para dar.
Psicologia e Humor 15: Polissonografia é um exame para avaliar o sono, extremamente desconfortável, em que você tem que dormir com cateter no nariz, esparadrapado com censores, cola no cabelo e rosto e fios por todo o corpo. Detalhe; Durma porque senão tem que refazer.kkkkkkkkkkk ps. A máquina às vezes falha e não registra. Vero.Parte inferior do formulário

Final de Ano

07/01/2015

O ano acabando.

Não terminei ainda.

Queria dizer que…

Não há mais tempo.

Que me orgulho,

Ou me arrependo.

Tantas coisas…

Parece que…

O tempo é soberano.

No primeiro dia do ano,

Faltam três dias…

Te amo te amo te amo te amo.

Te amo te amo te amo. CB.