No Século XIX Nietzche declarou que deus estava morto. Outros deuses haviam nascido: a ciência, a tecnologia, a economia. O dinheiro. Ah…o dinheiro. Distâncias se estreitaram com a internet: Um bem e um mal.Ficamos sabendo até do que não gostaríamos de saber e temos a ilusão de estarmos perto uns dos outros.

Agora é a morte do próximo segundo Luigi Zoja. ” No sentido vertical perdemos deus e no horizontal perdemos o próximo.”

Será essa uma das causas da melancolia que acomete o homem contemporâneo? Onde está o próximo ? Salvei minha pele mas onde está o DSCN1572próximo? O famoso ditado de que ” a fila anda” tem a ver com isso. CB

Tunga - À Luz de Dois Mundos

Escultura de Tunga .

“O isolamento só existe no isolamento. Uma vez compartilhado ele desaparece.” ( Breuer  se dirige a Nietzsche no filme Quando Nietzsche Chorou , baseado no romance de Irvin Yalom ). Nietzsche chora porque se sente livre ao entrar em contato com o significado de sua angústia. Lou Andrés Salomé foi o elemento de ligação anímico de grande importância na fundação da psicanálise. O Livro e o filme tratam de forma eloquente como o tema da sombra de Deus foi fundamental fundação da  psicanálise junguiana. O conflito entre eros e poder ,  entre vínculo amoroso  e individuação, angústia de morte e individuação estão presentes nos dois autores: Freud e Jung.

Irvin Yalom traduz com propriedade a importância da emoção do analista para a “Talking Cure”,  idéia de Breuer,  como precursora da psicanálise.

Nietzsche em Zaratrustra expressa seu sentimento de ser um homem fora de seu tempo e que portanto, só lhe resta o isolamento. Embora tomado como nihilista, Nietzsche fala de um deus morto para se referir à solidão  de um homem dissociado de sua alma.

Anna Ó foi fundamental para a formulação do conceito de transferência e contratransferência Freudiano. No conceito freudiano o complexo de Édipo era o fulcrum dos processos transferenciais. Jung não elege um complexo em particular como fundador da transferência mas reconhece a transferência como fulcrum da análise.  Para Jung a psique se projeta em busca da humanização de seu potencial arquetípico. A projeção é ingrediente da transferência e da contratrasnferência mas Jung não dá primazia a um complexo em particular na transferência.  No Livro de Irvin Yalom  a identificação projetiva, conceito de Melanie Klein também está presente como ingrediente do processo transferencial. A integração do consciente com o inconsciente aparece em todos os autores referidos como fundamento da cura analítica. Freud e Jung se separam quanto aos seus conceitos de inconsciente. Para Jung existe o inconsciente coletivo, acervo da memória ancestral e do potencial arquetípico. A transferência é também arquetípica.

Se Jung , Freud, Breuer, e Nietzsche tivessem prosseguido seu diálogo sem que o rompimento de Freud e Jung tivesse ocorrido em 1913 ,  talvez pudessem reconhecer mais pontes entre suas teorias.