Sunset

05/08/2009

lisboa 055

 

“O que aparentemente é “incorreto”, quando aliado à capacidade humana de redesenhar o “bom “, permite o apontamento de um novo “correto”, que por sua vez transforma a realidade profana em sagrada.” Nilton Bonder

Nas meditações ao cair da tarde…que a possibilidade de transgredir o status quo, a possibilidade da traição, contrariar o establisment, é a única forma de encontro com o si mesmo.

Luto amoroso

05/08/2009

divorceNa contemporaneidade, a auto-estima se confunde com a rápida adaptação às circunstâncias, e os ritos de aproximação e afastamento são tragados pela busca desenfreada por satisfação. A falta de acolhimento social para os momentos de transição como o do processo de luto, lança-nos em um movimento de negação que implica a necessidade de desfazer-se precocemente do registro da perda na consciência.

Em uma sociedade voltada para o sucesso individual, o término de um relacionamento é vivido como um fracasso pessoal e tratado com certa desconfiança e rejeição pelo outro. Este, aqui entendido tanto como o outro “de fato”, como também pelo outro protagonizado pela sombra individual. Pois, o sujeito que se separa compartilha de uma mesma consciência coletiva, e tende a julgar-se mesmo quando o restante da sociedade o ignora. Neste caso, ele próprio exercita o julgamento que espera dela, em uma situação de solidão que acentua a angústia de morte vivida na separação.

Quando caímos no luto estamos diante da perda de um objeto. A primeira vivência do luto é a ausência do outro em nossa vida. A ultrapassagem desse momento de ruptura pode não se dar completamente, e o enlutado refugia-se na tristeza, de tal forma, que se confunde e já não sabe o que perdeu.O melancólico perdeu seu próprio eu.

Vejaoqueacontecequando2artistasse

Thinking Of Him , Roy Lichenstein 

Acabo de ler os versos de Neruda .

 

‘Queda proibido llorar sin aprender,

levantarte un dia sin saber que hacer,

tener miedo a tus recuerdos…”

  Pablo neruda home                 Construimos nossa segurança afetiva através de nossos vínculos. Nossas feridas afetivas ou o desamor causam nossa insegurança afetiva.

  Ou convivemos com ela e temos um amor ou desistimos. 

Algum dia alguém desistiu e alguém deixou.

” Deixei porque não tinha forças para segurar você. Sua força de ir era grande.”

“Queda proibido no sonreir a los problemas

    No luchar por lo que quieres,

   Abandonarlo todo por miedo,

   No converter en realidad tus sueños,…”

“Continuei por aqui mesmo sofrendo, chorando, enxugando as lágrimas, maldizendo nosso amor, e te adorando pelo avesso, salve o Chico. As respostas não vinham a não ser a  de que deixamos de nos compreender. “

Quantas vezes já ouvimos essa história!

“Queda prohibido no intentar comprender a las personas,

Pensar que sus vidas valen menos que la tuya

No saber que cada uno tiene su camino y su dicha”

Dúvidas da contemporaneidade :

Ela:

“Sentia-se dominado por uma mulher que tinha sua vida organizada e bem sucedida? Precisava sentir que respirava seu próprio ar e para isso não podia estar junto a uma mulher que tivesse o domínio do próprio espaço físico ou auto-suficiência financeira e profissional ? “

Do lado dela sentia-se sem poder ou inferiorizado. O único poder que teria seria abandoná-la? Certamente sabia quanto ela precisava dele afetivamente.  Sem ele ela ficaria bem mais fraca,  menos “poderosa.”  Mas ele ficaria mais forte?  Ou ambos ficaram mais fracos e infelizes no final ?

 42-21779596

Bronken-up

Ele:

” Ela o amava mesmo ou será que uma mulher tão auto-suficiente não estaria apenas simulando afetividade enquanto envolvida apenas com mais um de seus projetos? Dificil  imaginar mulheres independentes  e, ao mesmo tempo, com uma legítima demanda e disponibilidade afetivas.”

Foi dada a sentença de morte aos dois.

 “Queda prohibido no crear tu historia,

No tener un momento para la gente que te necessita

No compreender que lo que la vida te da,

También te lo quita…”

PV001323

fOTO: Cidade de Praga

Manhã de domingo

Voltei a ler jornal. O crítico fala do diretor Ceylan … “É interessante que ele mostre a solidão e a dificil aceitação da necessidade do outro por meio de uma precisa observação de gestos cotidianos que substitui o psicologismo (outra ponte com Antonioni). A cena do sonho introduz uma quebra no realismo, mas Ceylan gosta de lembrar, com Ingmar Bergman, que o sonho, às vezes, é mais real que a vida.” Luis Carlos Merten.

“Queda prohibido, no buscar tu felicidad

No vivir tu vida con una actitud positiva,

No pensar en que podemos ser mejores,

No sentir que sin ti, este mundo no seria igual.”

Versos de Neruda se debatem com frase de Bergman. Parece que os fantasmas foram mais reais que a vida. Zeus, Sêmele e Hera reeditados? Perdemos a esperança ?

Inveja, ciúmes, assassinato de Sêmele.

 

hermes com dionisius

Dionísio agora para renascer haverá que ser de algum milagre, de alguma nova aliança.  No mito ele renasce da perna do pai, mas do pai que faz aliança com o feminino. Não do pai enciumado, aquele que tem ciúmes do filho e da mudança. Zeus gera Dionísio em sua perna. Surge  uma nova lei, de um ato humilde, de  uma nova relação entre Eros e Poder.